RSS

Arquivo de etiquetas: escolhas

Dia de faxina

faxina

Estava precisando fazer uma faxina em mim… Jogar alguns pensamentos indesejados para fora, lavar alguns tesouros que andavam meio enferrujados…

Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.

Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões… Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei; Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li. Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas… E as coloquei num cantinho, bem arrumadas.

Fiquei sem paciência!… Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão: Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste… Mas lá também havia outras coisas… e belas!

Um passarinho cantando na minha janela… Aquela lua cor-de-prata, o pôr do sol!… Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças. Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.

Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou. Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!

Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas, se as esqueço lá mesmo ou se mando para o lixão.

Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante: o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos… Como foi bom relembrar tudo aquilo!

Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as à mostra, para não perdê-las de vista.

Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurada bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar… E de recomeçar…

Autor Desconhecido

Anúncios
 

Etiquetas: , , , , , , , ,

Lição de respeito

singela

Nestes tempos de intolerância e desrespeito com as escolhas de cada um é sempre bom ler algo inteligente e simples que resume bem o que é respeito.

Não temos que aceitar ou não o modo como nosso próximo resolveu viver, e muito menos interferir. Isso só a ele compete, apenas temos que respeitar , amar, sermos solidários sempre que for preciso.

Cada um de nós responde individualmente por suas escolhas, erradas ou certas perante a Lei de Deus, e só a Ele compete julgar, a ninguém mais.

******************

Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um parente, quando vê um chinês deixando um prato de arroz na lápide ao lado. Ele se vira para o chinês e pergunta:

– Desculpe, mas o senhor acha mesmo, que o defunto virá comer o arroz?

E o chinês responde: – Sim, quando o seu vier cheirar as flores…

“Respeitar a opção do próximo, em qualquer aspecto, é uma das maiores  virtudes  que um ser humano pode ter”.

Autor Desconhecido

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 04/01/2018 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

O endereço certo

conselhos

O jovem rapaz fazia os últimos preparativos para a viagem que se avizinhava.

Ficaria distante da família, do país, na busca de novos desafios profissionais.

Estava às portas de iniciar uma nova fase da vida, na qual precisaria se afastar do lar, dos amigos.

Pela primeira vez, pensava ele, estaria sozinho, dono de si e de seu destino.

Os vinte e poucos anos davam-lhe o combustível para correr em busca dos sonhos e das aventuras, no desejo natural de se descobrir e descobrir a vida.

Certo dia, o avô o chamou, pois queria ter com ele uma conversa antes de partir.

Recebido entre abraços e brincadeiras carinhosas, o velho senhor o convidou a ouvi-lo, pois tinha um último conselho a lhe dar antes da viagem.

O jovem, afeito aos cuidados naturais do avô, imaginou que seriam as falas de sempre, aqueles conselhos para se cuidar, mandar notícias, e outras coisas do gênero.

Sentou-se e esperou. Contudo, com o peso da sabedoria que os anos lhe possibilitavam, o avô o olhou, profundamente, nos olhos e lhe disse:

Meu filho, por onde quer que você vá, não importam os caminhos e possibilidades que a vida lhe oferte, lembre-se de nunca perder o endereço de sua casa.

O rapaz achou, a princípio, que se tratava de alguma brincadeira, ou mesmo que o juízo do avô falhara por alguns instantes. Afinal, como ele iria esquecer o nome da rua, o número da casa que lhe fora lar por toda a vida?

Como assim, vovô, perder o endereço de casa? O senhor acha que eu não vou me lembrar onde moro?

Depois de uma pausa natural, o ancião explicou:

Meu filho, muitos serão os convites que lhe chegarão. E cada convite, será uma bifurcação na estrada de sua vida. Você terá a opção de ir para um lado ou para outro.

Terá sempre a chance de dizer sim ou de dizer não. A sua resposta, para cada convite é que definirá o rumo de sua caminhada, o destino que você estará construindo para si mesmo.

Assim, quando tiver dúvidas, quando se perguntar se vale a pena isso ou aquilo, lembre-se do endereço de sua casa.

Lembre-se dos valores com que foi educado. Lembre-se de que é aqui que você aprendeu a ser honesto, honrado, solidário com o próximo, a ser uma pessoa de bem.

As propostas que o afastarem da sua casa, tenha certeza, não valerão à pena.

Não importa se possam acenar com sucesso, conquistas, dinheiro ou reconhecimento social.

Escutando as valiosas palavras do avô, o jovem, emocionado, o abraçou, guardando na alma a lição.

****************

Os valores recebidos no lar deverão nos acompanhar vida afora, aonde quer que nos conduzam nossos passos e nas mais diversas circunstâncias, sorria-nos o sucesso ou as momentâneas nuvens do fracasso.

Os conselhos dos que nos antecederam na jornada reencarnatória devem nos merecer acurada reflexão, uma vez que, tendo experienciado determinadas lutas, eles têm, além do peso natural dos anos, a própria vivência a lhes guiar as palavras.

Pensemos nisso. Fiquemos atentos às ponderações dos que nos querem bem e somente desejam que sejamos felizes nesta vida, sob a bandeira da honestidade e da dignidade.

 

Redação do Momento Espírita.
Em 7.8.2014.

 
1 Comentário

Publicado por em 08/08/2014 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

Quando o coração escolhe

Autor: Américo Simões ditado por Clara
 
Uma narrativa envolvente que embora seja vivida em grande parte numa época mais remota, fala de dramas sempre atuais vividos por todos nós em família e na sociedade.
Escolhas equivocadas que fazemos ao levar somente em conta aquilo que está pré- estabelecido sabemos lá por quem, ou o que achamos que nossos familiares ou a sociedade esperam de nós e não o que realmente queremos, o que realmente nos faz feliz.
O livro nos faz refletir sobre o que verdadeiramente Deus espera de cada um de nós.
Ele simplesmente espera que sejamos felizes dando voz e vez ao amor, sem preconceitos, o amor que não impõe condições para se realizar, simplesmente flui como um rio que corre para o mar, contornando  as pedras do caminho.
Deixamos aqui uma parte do trecho final do livro, que vem ao encontro da mensagem que este blog tenta passar, na busca de um mundo melhor.
 
 
“Talvez você duvide que um ser humano possa mudar ao longo da vida. Bem, Fabrízio Guiarone mudou, isto é, deixou apenas aflorar o melhor de si, um melhor que muitos nem percebem possuir, mas que está lá, na alma de todos nós seres humanos.
Deixou de ser corrupto, dedicou-se com afinco à política, procurando por em prática aquilo que realmente pudesse melhorar as condições da população.
Uns dizem que é o tempo, o mágico tempo, que tem o poder de despertar o melhor do ser humano. Mas não é o tempo em si que faz com que despertemos esse melhor, são os amigos encarnados ou desencarnados que encontramos através dos tempos. São eles que cedo ou tarde, nos levam a perceber que certos padrões de pensamento sobre a vida nos são prejudiciais e só servem para impedir o ser humano de despertar o seu melhor, bem como o da sociedade.
Esses amigos nos ajudam porque a vida quer trazer à consciência aquilo que realmente é importante para vivermos bem com ela, com nossos semelhantes, com o planeta, com o cosmos em si. Esses auxílios nos chegam de diversos modos, dentre eles os mais comuns: alguém se aproxima de você e lhe diz algo que o faz refletir, que o leva à solução de um problema que há muito procurava resolver; ou lhe sugere um curso que ajuda a despertar o seu melhor, que lhe ensina técnicas para estimular sua paz de espírito; ou lhe indica um livro que lhe ensina, indiretamente , a lidar melhor consigo mesmo e com a vida; ou, ainda, através da mediunidade.
Há certamente os do contra que percebem que estão recebendo uma ajuda do Além para despertar o seu melhor e, mesmo assim, não dão o braço a torcer. Esses são levados a despertar o seu melhor por meio da dor, porque só a dor nos faz , cedo ou tarde, tomar finalmente uma atitude em prol da VIDA.
Para muita gente é realmente muito difícil mudar, adquirir hábitos mais saudáveis para tornar sua vida mais saudável física, emocional e espiritualmente. Esses que reprimem a mudança para o melhor, tendem a pichar aqueles que abraçam mudanças positivas, que descobrem um modo mais saudável de viver, que aceitam a natureza na íntegra, incondicionalmente, com todos os seus componentes.
Saber não se deixar perturbar por pessoas que vão contra as mudanças positivas é algo difícil, muitas vezes, mas altamente necessário se quiser manter o seu melhor. Todos sabem que basta uma laranja podre no meio de várias, para apodrecer as demais.
A história da família Guiarone parece ter  um final de novela, onde tudo termina bem para os personagens, mas não é bem assim; a vida dos Guiarone não parou no último relato descrito neste livro, a vida continuou e todos tiveram que enfrentar os altos e baixos que o dia a dia nos traz.
Se você tem vergonha por ter um filho homossexual, tem vergonha de ter um amigo ou um ente querido casado com um negro, ou sente vergonha por ter colegas de trabalho da raça negra, saiba que vergonha mesmo a gente deve ter é do terrorismo, da miséria, da guerra, da matança das baleias, da devastação da natureza, do racismo, do preconceito, de fanáticos religiosos, de politicagem corrupta, de assaltantes, de criminosos, entre outras coisas do gênero. Agora de homossexuais, de outras raças, de outra cor de pele é realmente uma hipocrisia, uma afronta a Deus que criou todos nós de diferentes tamanhos, cores e gostos.
Antes de alguém ser preconceituoso e racista, gaste seu tempo, seu cérebro e suas palavras com atitudes mais prósperas, em prol da paz mundial: vá ajudar carentes, fazer algo realmente que faça com que você e Deus sintam orgulho de você mais tarde.
Porque uma coisa é certa: Deus não vai tirar do planeta os homossexuais, negros e outras raças porque você não as aceita. Tudo vai continuar o mesmo, a única diferença que pode acontecer se dará quando você aceitar a vida como ela é, tudo do jeito que Deus criou; até mesmo as baratas continuarão a existir, não é só porque você não gosta delas que elas desaparecerão. Há espaço para todos neste planeta. E todos que aqui estão, são necessários para a nossa existência. Ainda que não pareça. Pense nisso!
A verdade é uma só: quem aceita aquilo que é intrínseco à natureza da vida, vive melhor, tem condições de ser mais feliz. E felicidade é o que todos querem, portanto… Felizes aqueles que já perceberam isso!”
 
 
1 Comentário

Publicado por em 14/02/2012 em Literetura

 

Etiquetas: , , , ,