RSS

Arquivo de etiquetas: flores

Bem perto de Deus

Se você já parou para admirar o incrível e interminável
trabalho de uma simples formiga…

Se você já parou espantado e tentou compreender a beleza
admirável de uma casa de abelhas…

Se você já parou e procurou acompanhar a extraordinária
velocidade e a maravilha espantosa do vôo de um beija-flor…

Se você já parou sentado no chão, e ofereceu
suas mãos para seu cão lambê-las…

Se você já parou e procurou sentir o perfume mágico
do cheiro humilde das flores…

Se você já parou e se dispôs mansamente a escutar
o barulho eterno das ondas do mar…

Se você já parou e sentiu em seus lábios o mesmo sorriso
que você viu naquela criança…

Se você já parou e sentiu derramar em seu rosto as mesmas
lágrimas que você viu descerem tristes pela face enrugada
daquele pobre velho…

Se você sentiu tudo isto, se você conseguiu compreender e
observar isto tudo, na verdade você não parou um segundo
sequer.

Você viveu da maneira mais intensa cada instante da
sua vida, porque você encheu de beleza a sua alma e de amor o seu
coração.

Saiba que você chegou bem perto de Deus…

( Autor Desconhecido)

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 06/07/2017 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , , , ,

Pontes e Muros

pontes e muros

Ele era alegre e solidário

Carregava em si os sentimentos puros

Apreciava a beleza dos verdejantes montes

E a delicadeza das flores

 

Embora tenha vivido momentos duros

Não entendia os muros

Que seus amores viviam a edificar

Teimando em suas vidas separar

 

Sonhava construir pontes

Este engenheiro, amante do luar,

Do sol, do verde e do mar.

 

Mas o tempo passou e o construtor

Que carregava no peito grande amor

E pontes queria erguer, para os corações juntar

Viveu a vida a tentar derrubar os muros

Que seus amados insistiam em levantar…

 

Silvia Gomes

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 30/04/2016 em Poesia

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

Recomeçar

recomeçar

“-Tudo tem seu apogeu e seu declínio…

É natural que seja assim, todavia, quando tudo parece convergir para o que supomos o nada, eis que a vida ressurge triunfante e bela!…

Novas folhas, novas flores, na infinita benção do recomeço!”

(Chico Xavier)

Assim são os dias, as semanas, os meses, os anos… sempre recomeçando, com novas e maravilhosas oportunidades de crescimento e aprendizado.

Por mais que tenhamos experimentado dificuldades e obstáculos ao fim de um período, sempre haverá uma nova chance, um novo amanhecer.

Estamos começando um ano novinho em folha e cabe unicamente a nós transformá-lo no melhor tempo de nossas vidas.

Somente nós podemos fazê-lo bom e próspero.

Isto só irá acontecer se abrirmos as janelas de nossa alma para a vida real, que é feita de amor, solidariedade, fraternidade… e, todos os sentimentos nobres que nos fazem estar do lado do bem.

Alguém poderá argumentar que é impossível, uma utopia… e, muita pretensão,  falarmos em alcançar este estágio de evolução, porque somos imperfeitos e não podemos e nem temos a obrigação de sermos santos.

Certamente, estamos a léguas e léguas de distância da perfeição e da santidade, mas se nos acomodarmos com nossos vícios e imperfeições e não almejarmos possuir os valores e sentimentos que realmente importam e promovem nosso crescimento e felicidade,  permaneceremos estagnados em um mundo de sofrimentos intermináveis.

Um mundo em que os espinhos serão mais numerosos que as flores e seus perfumes.

Porém, se antes de lamentar e criticar o que nos desagrada e incomoda, promovermos e exaltarmos o que nos encanta, criaremos a atmosfera propícia para que a “utopia” e o “impossível” se tornem realidade.

Além do mais, assim como o Tempo e a Natureza se renovam a cada dia… cada ano… a cada estação, nós também recomeçamos a cada manhã com energia revigorada para sonhar e realizar o que sonhamos,

A cada reencarnação, prontos para trilhar a estrada da vida sentindo o aroma de novas flores e enfrentar novos desafios, tendo a certeza que a força para superá-los reside fundamentalmente dentro de nós.

Força que vem primeiramente daquilo que deve ser inabalável em nossa vida:

A Fé e a Confiança em Deus.

Silvia Gomes

 
3 Comentários

Publicado por em 05/01/2013 em Otimismo

 

Etiquetas: , , , , , , , , ,

Aprende-se com o exemplo!

Quantas vezes você reclamou da sujeira das ruas? Quantas vezes adjetivou como relaxada a pessoa que joga papel, lata, pacotes vazios pela janela do carro, emporcalhando a rodovia?
 
Normalmente, a reação é de desagrado e se costuma afirmar que quem assim procede é porque lhe falta educação.
 
Contudo, uma questão existe que parece escapar à observação superficial.
 
É que, de um modo geral, algumas pessoas, porque veem sujeira em locais públicos, resolvem por também serem descuidadas.
 
O papel da bala, do bombom, que poderia ser guardado no bolso ou na bolsa até chegar a uma lixeira, é descartado em qualquer lugar. Isto é, no chão.
 
Por acreditar que se aprende pelo exemplo, um taxista inovou com seu carro. Quando ainda era empregado de limpeza numa empresa de táxis, observara que, no fim do dia, os táxis pareciam uma lata de lixo.
 
Eram papéis jogados ao chão, assentos e puxadores das portas pegajosos. Tão logo conseguiu sua carteira de motorista profissional pôs em prática a sua idéia.
 
Lustrou bem o táxi que lhe deram para dirigir. Arranjou um tapete bonito.
Cada vez que um passageiro saía, ele verificava se tudo estava em ordem para o cliente seguinte.
 
Voltava sempre com o táxi impecável para a empresa. Logo mais, resolveu colocar umas reproduções pequenas de quadros célebres, no interior do carro.
 
Comentava como o táxi era bonito, diferente. E ninguém deixava nenhuma sujeira nele: nem papéis, nem restos de casquinhas de sorvete, nem chicletes.
 
Nem um pouquinho de lixo. E filosofando, concluiu: As pessoas gostam de coisas bonitas. Se plantarmos mais árvores e flores pela cidade, se tornarmos os edifícios mais atraentes, aposto que mais pessoas iriam utilizar as latas de lixo.
 
Aquele motorista tem uma boa dose de razão. Todos nós, com o dom da vida, recebemos também um senso estético.
 
A maior parte das pessoas não precisa aprender sobre a raridade da beleza, do bom tom. Age e reage quando a encontra.
 
E, se tiver o sentimento de que faz parte dessa beleza, contribuirá para que ela se estenda por todos os lugares.
 
E são essas pessoas que continuam fazendo a grande diferença no mundo. São essas que dão exemplos para os que ainda não têm olhos de ver.
 
Essas veem uma lata abandonada na calçada e a recolhem, para jogá-la, logo adiante, na lixeira. Alguns mais corajosos, quando observam alguém descartando papéis pela rua, se aproximam e alertam ao descuidado: Amigo, o senhor deixou cair alguma coisa ali atrás.
 
São essas criaturas que primam pela seleção do lixo, que o acondicionam bem e disponibilizam, nos dias certos, para a coleta pública.
 
São essas criaturas que se preocupam com a reciclagem, com o descarte correto dos produtos. Criaturas que plantam flores, regam jardins, mantêm o quintal e a frente de sua casa sempre limpos.
 
Que tal engrossarmos as fileiras desse tipo de pessoa? Afinal, quem não deseja viver entre a beleza, a limpeza, os perfumes e a saúde?
 
Redação do Momento Espírita, com base no artigo Um táxi meio diferente, de Norman Cousins, deSeleções Reader’s Digest, de dezembro de 1982.
Em 19.04.2011.
 
1 Comentário

Publicado por em 04/10/2012 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , , , , , , ,

Primavera

Primavera é quando, num pedacinho da Terra, as flores se abrem,
o sol fica mais forte e a vida fica mais alegre.
Quando, num canto da Terra, se faz primavera, nos outros cantos se faz verão,
inverno e outono.
Das quatro estações, a primavera é a mais bonita, porque colore a terra, perfuma o ar
e contagia os corações sensíveis com sua alegria.
A primavera é uma boa época para renovar o espírito, assim como as flores se renovam.
E de colher os frutos e semear a terra.
Semear a terra sempre, pois isso significa mantê-la sempre fértil.
E de terra fértil, sempre brota a vida.
Bom seria se a primavera acontecesse o tempo todo, em todos os corações
humanos… florescendo, enfim, na forma de atos, palavras e
pensamentos, sempre positivos…
se cada ser vivente, fosse como uma flor, bela, pura e
cheirosa, toda a Terra viveria uma eterna primavera…
Depende de cada um, fazer do próprio coração, a terra…
semeá-lo e cuidá-lo, para cultivar o espírito da primavera, todo o tempo…
em qualquer estação…

 

 
1 Comentário

Publicado por em 04/10/2012 em Poesia

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , ,