RSS

Arquivo de etiquetas: silêncio

Imagem

Em silêncio…

Em silêncio

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 21/08/2018 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , ,

Metade

metade

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca; 
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio…

Que a música que eu ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza;
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada 
Mesmo que distante;
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade…

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece
E nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta 
A um homem inundado de sentimentos;
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo…

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada;
Porque metade de mim é o que penso 
Mas a outra metade é um vulcão…

Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo
Se torne ao menos suportável;
Que o espelho reflita em meu rosto
Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei…

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria 
para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais;
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço…

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer;
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção…

E que a minha loucura seja perdoada 
Porque metade de mim é amor
E a outra metade… também.

Oswaldo Montenegro

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 28/05/2018 em Poesia

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Imagem

O preço da omissão

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 25/04/2018 em injustiças, Reflexão

 

Etiquetas: , , , , ,

Tudo o que precisamos ouvir

Há momentos na vida que tudo o que precisamos ouvir é:

Eu me importo com você

Se eu pudesse tirar esse sofrimento do
seu coração, eu faria.

Se eu pudesse tirar sua dor e
fazê-la minha, eu faria.

Eu posso te dizer:
“Existe uma razão para tudo
que está acontecendo contigo”,
pois nada é por acaso.

Ás vezes a estrada da vida
tem trechos obscuros,
difíceis de serem trilhados e
que fazem com que tudo pareça
difícil e sem saída.

Eu quero que você
tenha sempre a certeza…

…que eu estou aqui
se você precisar conversar,
se você precisar chorar,
se você precisar de conforto ou,
simplesmente confidenciar seu silêncio comigo.

Eu me importo com você e,
estarei sempre ao seu lado!

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 15/07/2017 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , , , , ,

Maestros do silêncio; gurus da calmaria

É mais ou menos por aí! Gostei, compartilhei!

Um veículo é feito para rodar, não para bater. Mesmo assim, há testes de colisão para avaliar como cada modelo se comportaria num acidente. Esses testes são tão importantes que os modelos mais vulneráveis são desvalorizados antes mesmo de chegarem ao mercado. A gente nasce para ser feliz. Casa para formar família. Trabalha para ter […]

via Maestros do silêncio; gurus da calmaria — Rino Sonhador

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 06/01/2017 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , , , , , , ,

Lição inesquecível

chuva

Na atualidade, é bastante comum os casais se queixarem um do outro. A esposa critica o marido por suas manias, por lhe cercear a liberdade e por outras tantas coisas.

O marido reclama dos gastos da esposa, do tempo que demora para se arrumar toda vez que decidem sair, e daí por diante.

É natural que numa roda de amigas, quando o assunto é marido se comentem os defeitos deles e como elas poderiam ser mais felizes sem eles.

 

Assim foi numa tarde, na academia, onde uma senhora, que aparentava um pouco mais de quarenta anos, se encontrava. Alguém comentou que invejava a sua felicidade.

Ela era uma mulher que transpirava alegria. Dedicava-se a obras de caridade, estudava música. Mas, em tudo que fazia, havia uma tonalidade de alegria contagiante.

Qual era o segredo, afinal? – Perguntou uma das amigas.

Devo tudo ao meu marido. – Respondeu rápido.

Como assim?  Tornou a perguntar a outra. Ele acompanha você a todo lugar, incentiva  você, o que ele faz?

E uma pontinha de inveja adornava as perguntas agora.

Como podia aquela mulher ser tão feliz com seu marido?

Mas a outra tornou a responder: Bem, meu marido morreu.

Na roda de amigas, houve um grande silêncio e, pela mente de todas elas, passou a ideia: Claro que ela é feliz. Ele devia ser um carrasco. Ele morreu e ela se libertou.

No entanto, continuando a explicar, a viúva disse:

Enquanto vivemos juntos e foi pouco mais de vinte anos, esse homem me ensinou a amar.

Quando nos casamos, eu era uma jovem tola, cheia de sonhos, vivendo a irrealidade. Ele era um homem prático, mas extremamente sensível.

Amante da poesia, ensinou-me a amar os versos, a descobrir a beleza nas rimas.

Nas horas de folga, tornava-se jardineiro. Ensinou-me a amar a terra, as flores, a semear e esperar o crescimento e a floração.

Gostava de boa música. Com ele aprendi a ir ao teatro para assistir a concertos de música clássica e shows de música popular. Ele me instruiu nos primeiros caminhos dessa bela arte.

Esse homem me ensinou a amar a vida e nela descobrir valores. Deu-me a conhecer o verdadeiro valor de uma amizade, a não desprezar nenhuma manifestação de carinho, por menor que pudesse ser.

Ensinou-me a amar a natureza, bendizendo o sol e a chuva, em suas alternâncias. A não reclamar do frio, nem do calor excessivo. Ele me ensinou a ver em tudo a Providência de Deus a nos abençoar.

Por isso, quando ele se foi, quando pensei entregar-me à tristeza, recordei-me dos anos vividos e das lições repassadas.

Em memória dele, não posso deixar de ser feliz e transmitir felicidade a todos.

***********************************************************************************

A vida é o hálito do Pai Criador em Sua soberana manifestação de amor.

Examinemos  nossa vida e das experiências de todos os dias retiremos o melhor proveito.

Nossa vida se constitui de bênçãos e sofrimentos.

Exatamente como no jardim existem duas formas de encontrar as rosas: pelo aroma ou pelos espinhos, nossa vida depende da forma que encaramos o que nos rodeia, o que nos chega, o que nos acontece.

 

Redação do Momento Espírita, com pensamentos finais extraídos do livro Repositório de sabedoria, v. 2, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal. Em 10.06.2011.

 
2 Comentários

Publicado por em 29/01/2013 em Otimismo, Uncategorized

 

Etiquetas: , , , , , , , , ,

As vozes do silêncio

Como diria um amigo querido:

“Se por um lado, a internet me oferece muitas idéias prontas, os livros me dão a oportunidade de aprontar ideias.”(¹)

Portanto, muito melhor ler uma hora por dia do que navegar na web por horas a fio.

De fato, a internet nos brinda com uma profusão de pensamentos e idéias de grandes vultos da humanidade e que devem servir para nossa reflexão.

Porém o que mais vemos, principalmente nas redes sociais, são pensamentos, idéias e receitas prontas de felicidade, de bem viver… e coisa e tal, formulados por todos nós e que retratam nosso estado de espírito e nossas experiências de vida no momento em que os escrevemos.

Pensamentos do tipo: “ Felicidade é isso… Felicidade é aquilo…”, “ Não faça isso… Não faça aquilo…”, “ Não de importância …”, “ Seja assim… Seja assado…” etc.

Dentre os vários assuntos abordados por estes pensamentos e idéias lançadas na rede, nos chama a atenção os que falam sobre o silêncio.

Receitas mil sobre como utilizar o silêncio como proteção para sua privacidade, sua felicidade doméstica, sua vida tranquila… e por aí vai.

Muitas destas receitas que ensinam a arte do silêncio, retiramos das literaturas religiosas e embora trazendo alguma sabedoria, em certos momentos as usamos para demonstrar orgulho, egoísmo e vaidade.

Se analisarmos melhor, veremos que o silêncio total é impossível, pois o silêncio fala…, e fala alto!

Calar em matéria de amor pode querer dizer: “Eu não te respondo nem te procuro, porque não te amo e não me importo contigo”.

Mas também pode dizer: “Eu não te respondo nem te procuro porque te amo demais, mas devido ao que a vida nos apresenta no momento presente o melhor é manter distância, porém nunca deixarei de te amar”.

Silenciar em matéria de amizade pode querer dizer: “Eu não quero ser teu amigo, não gosto da tua presença em minha vida”.

Mas também pode dizer: “Eu gosto de ti, gostaria de tê-lo sempre por perto, mas tenho medo de me envolver e me decepcionar.” Somente para dar alguns exemplos das várias vozes do silêncio.

Chico Xavier, com a sabedoria dos missionários nos ensina: “Lembra-te de que falando ou silenciando sempre é possível fazer algum bem”.

Se o silêncio fala tão alto quanto palavras ditas em um tom alterado, cuidemos para que a voz do nosso silêncio não seja a lâmina cortante da indiferença e sim, que seja a voz do amor, do carinho, do perdão e até, por que não, da renúncia em prol da felicidade daqueles que amamos, daqueles a quem aprendemos a amar e até de quem não conhecemos, pois todos somos irmãos em Deus.

Silvia Gomes

(¹) Claudio Viana Silveira ( http://www.blogdovelhinho.com.br)

 
1 Comentário

Publicado por em 16/10/2012 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , , , , , , ,