RSS

Arquivo de etiquetas: voar

Por que não compartilhar?

compartilhar

Ser autêntico, pensar com os próprios neurônios são condições primordiais para a nossa evolução como seres únicos e especiais que somos perante Deus.

Porém, aprimorar nossa inteligência não deve ser algo que nos impeça de desenvolver e viver a humildade de saber compartilhar e caminhar junto.

Talvez este mundo virtual em que mergulhamos todos os dias, seja um bom exemplo disso.

Assim como no nosso cotidiano real, podemos usar e abusar do ‘copiar e colar’, de uma forma indiscriminada, como uma opção de levar a vida sem muito esforço, quando somos indolentes e sem vontade firme de progredir e caminhar com nossas próprias pernas.

Porém há que separar a preguiça, da humildade de reconhecer que não somos donos da verdade absoluta, nem o único depositário de toda a inspiração do mundo e que o outro também pensa, tem inspiração e pode sim nos ensinar muitas coisas.

Por que não compartilhar o pensamento alheio, quando este lhe faz bem, faz raciocinar e ensina o bem?

Por que não querer que mais pessoas se sintam bem, façam o bem e queiram o bem?

Neste artigo, venho expressar o meu profundo sentimento de gratidão ao Momento Espírita, a tantos outros Autores Conhecidos e Desconhecidos que publico e aos amigos que me acompanham e incentivam, pois com eles aprendo e evoluo.

Aprendizado este que já me proporcionou desenvolver a capacidade de publicar textos próprios.

Então por que não dar a mão e caminhar lado a lado… Aprendendo, ensinando… Auxiliando, sendo auxiliado…?

Este Planeta é uma grande aldeia em que todos precisam uns dos outros para Sobreviver… Viver… Voar!

Não vale a pena voar sozinho!

Silvia Gomes

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 11/10/2013 em Reflexão

 

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Vivendo sem melancolia e sem lamentações

 
Tudo que nos acontece é uma mensagem da Vida Mais Alta tentando equilibrar nosso mundo interior. Se desejamos sair do circuito do desespero e ir gradativamente resolvendo dificuldades e conflitos, comecemos por compreender que a nossa existência é controlada por uma Fonte Divina – perfeita e harmônica – cuja única intenção é somente a evolução das criaturas.
 
Reconheço que as dores íntimas são como prelúdios de um violino ferindo o peito profundamente. Mas lembre-se: ninguém pode procurar nos outros um recado que está dentro de si. Aprendamos a ler essas mensagens impronunciáveis; elas são a chave da solução dos sofrimentos. As leis divinas estão em nossa consciência.
 
Se você busca livrar-se da melancolia, apegando-se às pessoas para que cuidem de você, haverá um dia em que perceberá que a busca é ineficiente, pois essa pessoa terá que ser você mesma.
 
Não se faça de fraco e impotente; retire de seus olhos a angústia e a aflição. Você pode transformar esse processo doloroso em fator saudável de crescimento e progresso.
 
Não basta mudar um mau comportamento irrefletidamente; é preciso mudar a causa que provoca esse comportamento. Apenas assim poderá efetuar uma autêntica mudança.
 
De início, não espere satisfação e felicidade imediatas, porque os efeitos negativos vão continuar cruzando o seu caminho – resultado de anos vividos entre padrões inadequados. No entanto, quando descobrir esses padrões e começar a modificá-los de maneira gradativa, automaticamente terá início a redução das sensações desagradáveis e aflitivas que você experimenta.
 
A alma, na agonia moral, é semelhante a um pássaro de asa partida: quer voar, mas não consegue. Só com o tempo ele se equilibra; aí, então, pode alçar voo perfeitamente.
 
A autodestruição além de inútil, intensifica a dor já existente, por interferir no processo natural da existência terrena.
 
A alma humana pode ser comparada a um candelabro: acesas as chamas da verdade, dissipam-se as sombras da ilusão.
 
Todos temos uma tendência de culpar o mundo por nossas ações, comportamentos, emoções e sentimentos inadequados. Justificamos nosso desalento acusando indiscriminadamente, mas é preciso assumir plena responsabilidade por tudo o que está acontecendo em nossa vida. Devemos reconhecer honestamente que está em nós a fonte que determina e controla nossas ações e reações. Somos responsáveis tanto pela nossa felicidade quanto pela nossa infelicidade.
 
Melhore seu íntimo; essa é a maneira mais eficiente de ser feliz. Podemos destruir o corpo, mas não temos o poder de acabar com a vida.
 
Quem faz a sua parte e deposita nas mãos de Deus todas as suas dificuldades alcança a tão almejada tranquilidade.
 
Lourdes Catherine.
Fonte: extraído do livro “Conviver e Melhorar”, de Francisco do Espírito Santo Neto. Editora Boa Nova
 
“Não coloque nas mãos de ninguém a resposabilidade de fazê-lo feliz. Isso é uma decisão só sua.”
 
1 Comentário

Publicado por em 17/09/2012 em Uncategorized

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , ,